Investigador

  • Cláudia Cavadas
  •   ccavadas@uc.pt
  •   Endereço Web
  •   Breve explicação da actividade desenvolvida:

    Nesta atividade vamos falar da investigação ciêntifica na descoberta de novos medicamentos para doenças do cérebro e envelhecimento. Quais as experiências que devem ser realizadas “in vitro” e “in vivo” no laboratório? Como estudar o envelhecimento no laboratório?

  •   Breve CV:

    Andei na Escola Secundária de Cantanhede e licenciei-me em Ciências Farmacêuticas na Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra. Após uma breve passagem pela indústria farmacêutica, regressei à Faculdade de Farmácia como Assistente no laboratório de Farmacologia. Após a tese de Mestrado em Biologia Celular estive 3 anos na Divisão de Hipertensão no Hospital Universitário Vaudois (Lausanne, Suíça) a realizar o trabalho experimental da tese de Doutoramento. Aí estudei uma dos principais reguladores da resposta ao stress: as células cromafins da glândula supra-renal. Quando regressei a Portugal fui contratada como Professora Auxilar da Faculdade de Farmácia onde tenho lecionado aulas de Histologia e Embriologia Humana, Screening Farmacológico e Farmacologia. Desde 2002, sou investigadora do Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra (CNC). No CNC sou lider do Grupo de Neuroendocrinologia e Envelhecimento, e estudamos como é que uma das áreas cerebrais, o hipotálamo, e o stress crónico podem regular o envelhecimento.

  •   Grupo de Investigação:

    Grupo de Neuroendocrinologia e Envelhecimento

  •   Interesses:

    Gosto de viajar com os meus filhos, de estar com os amigos, ler jornais e noticias de ciência, ver séries de televisão, jogging a ouvir rádio… Gostava de ter tempo para pintar.

 Votação!